Imagem - Getrak
Imagem - Getrak
Telemetria
6 de julho de 2021
A importância da telemetria para a gestão e monitoramento de frotas
M
Publicado por
Maíra Duarte
Compartilhe:

A implementação de tecnologias e ferramentas que facilitam na coleta de dados que podem ser estrategicamente usuais no negócio, já é uma necessidade. Justamente por isso, vamos falar sobre a importância da telemetria para a gestão e monitoramento de frotas.

É através da telemetria, que possui diversas aplicações e nem sempre ligadas somente ao setor automobilístico, que o gestor de frotas pode tornar as suas operações mais eficientes e econômicas.

Continue com a gente neste artigo e entenda melhor!

Afinal, o que é telemetria veicular?

A telemetria é uma tecnologia focada no monitoramento que coleta informações de maneira remota, ou seja, sem fio. 

Como citado anteriormente, a telemetria possui diversas aplicações, sendo utilizada em pontos geograficamente remotos ou em constante movimento, que é o caso  do setor automobilístico.

Veja alguns exemplos de aplicações da telemetria:

  • Meteorologia
  • Energia
  • Gerenciamento hídrico
  • Fornecedores de energia
  • Água e esgoto
  • Telemetria veicular, a principal. 

Portanto, se por um lado a telemetria é utilizada em veículos de aluguéis de carros de Fórmula 1, por outro, ela também abrange a indústria de monitoramento veicular, sendo utilizada avaliação de rotas, rastreamento, desempenho, dirigibilidade e outros parâmetros de medição.

Imagem - Getrak
eBook

O guia definitivo para montar uma central de sucesso

Com isso, um gestor pode traçar planos de rastreamento de frota, maximizando os lucros por meio de estratégias com dados mais confiáveis e com a praticidade de ter tudo na tela do seu computador.

Como funciona a Telemetria para a gestão de frotas

O uso da telemetria para a gestão de frotas pode ocorrer com a ajuda de algumas ferramentas, como por exemplo, à “moda mais antiga” com o uso de planilhas preenchidas manualmente, ou ainda com a ajuda de softwares de monitoramento.

É possível, ainda, mesclar as duas opções, utilizando dados coletados por um sistema que informa os indicadores, analisar e criar planilhas para uma análise melhor. Muito embora softwares de telemetria já entregam os dados através de relatórios.

Por fim, não podemos esquecer de abordar os dois tipos de telemetria que podem ser utilizados no gerenciamento de frotas.

Continue!

Os tipos de telemetria para a gestão de frotas

Telemetria analógica 

A coleta dos dados é feita de sensor para sensor, através da instalação de chicotes e fios. Dessa forma, é realizada a leitura do RPM, o contagiro do veículo. A cada pulso que o sensor envia e uma calibração é feita no veículo, é contabilizado o cálculo de valor do RPM.

Esse mesmo processo ocorre para a medição do odômotetro.

Embora a telemetria analógica ela funcione em todos os veículos, a sua instalação é mais complexa e ainda demanda rupturas dos fios, calibrações constantes, que podem levar a perda da a garantia do veículo.

Essa tecnologia depende da aferição manual para a inserção dos dados no sistema.

Telemetria digital

Essa telemetria avançada é realizada através da rede CAN – Controller Area Network, por onde trafega toda a informação sobre o veículo, por uma comunicação sem fio.

Através de um computador de bordo, os dados são enviados para a central de rastreamento de veículos por meio de uma rede sem fio.* Essa transmissão de informações acontece em tempo atualizado  e gera relatórios precisos que ajudam a logística dos veículos, por esse motivo é um sistema tão utilizado por transportadoras que buscam eficiência e otimização dos seus gastos e lucros.

Veículos anteriores a 2009 não possuem CAN.

Confira alguns dados que são reportados através do computador de bordo do veículo com a telemetria avançada, que são idênticos ao painel:

  • Velocidade e odômetro
  • Consumo de combustível
  • RPM
  • Ponto e banguela
  • Freadas e acelerações bruscas
  • Captação de ponto morto

Você sabe qual é a diferença entre sistema de telemetria e rastreamento? 

Primeiramente, vale reforçar que a telemetria e o rastreamento fazem parte do mesmo sistema, no entanto, não são a mesma coisa.

Bateu uma confusão? Nós explicamos!

É simples, a telemetria coleta dados do veículo e o rastreamento coleta dados de localização, esses dois processos fazem parte de um sistema de monitoramento!

Portanto, com uma plataforma de monitoramento é possível acompanhar todos esses dados. Pensando nisso, que tal refletirmos sobre como a telemetria ajuda no rastreamento veicular?

Vamos lá!

Como a telemetria para gestão de frotas pode ajudar no controle e rastreamento veicular

Para maximizar os lucros e controlar os gastos sem afetar a qualidade do serviço, um gestor deve saber com precisão onde deve concentrar seus esforços. Essa estratégia, obviamente, deve ser baseada em números confiáveis e condizentes com a realidade.

Afinal, nem todos setores podem contar com essa precisão. Graças à telemetria, os ramos automobilísticos têm acesso a informações vitais para a elaboração de uma boa estratégia e controle de frota.

Nesse caso, trabalhando em conjunto com os dados de rastreamento, por exemplo, a telemetria permite a leitura das rotas que estão sendo feitas, ou mesmo do tempo gasto, entregando à central de rastreamento veicular ou de operações a possibilidade de elaborar melhores estratégias, como :

  • Poupar tempo;
  • diminuir o gastos de combustível;[
  • desgaste de pneus
  •  otimizar os tempos de entrega de mercadoria – se for o caso.

Além das vantagens citadas acima, vale reforçar que a telemetria também impulsiona a condução econômica e segura, umas vez que as melhores condições para dirigir estão atreladas aos seguinte tópicos:

  • Ter mais cuidado com o veículo
  • Dirigir com responsabilidade de de forma defensiva
  • Aproveitar da maneira correta a eficiência do veículo
  • Dirigir com a mentalidade de preservação ao meio ambiente
  • E por último e não menos importante, respeitar as leis do trânsito.

Veja mais!

Funcionalidade dos rastreadores

E já que falamos sobre telemetria, seria interessante você entender sobre a funcionalidade dos rastreadores. Afinal, entender, com mais profundidade, como esses dois processos que fazem parte do sistema de monitoramento podem ajudar na gestão de frotas é precioso!

Os dispositivos remotos (rastreadores) são capazes de fazer leituras sobre diversos aspectos do veículo aliados ao computador de bordo. Com isso, é possível identificar e prever desgaste de peças com relatórios precisos e fazer manutenções preventivas.

Até mesmo os hábitos do motorista podem ser analisados no dia a dia, como por exemplo: As diferenças de velocidades em pistas secas e molhadas, o tempo de acionamento da embreagem, o uso de freadas mais bruscas, o tempo de uso em que o veículo esteve parado, e ainda, as acelerações bruscas, o uso de combustível, a pressão do óleo, dentre outros relatórios.

Tudo isso pode ser vinculado à identificação do motorista, e analisado independentemente ou em conjunto com o restante da frota.

Usufruindo dessas informações, o gestor é capaz de observar o desempenho de toda a frota e também os rendimentos individuais de cada veículo e motorista.

São essas coletas de dados  que podem tornar a jornada do rastreamento mais simples, automatizada e intuitiva; além disso, todas essas informações são adquiridas em tempo real no computador da central de rastreamento.

Esses relatórios dependem não só do computador de bordo, mas também do veículo, ano e modelo, pois nem todos terão suporte a uma leitura tão precisa.

Redução de custos e segurança

Uma vez que a central de monitoramento veicular possui todos esses dados de forma atualizada, ela pode garantir uma otimização dos serviços com rapidez.

É possível observar se os padrões de dirigibilidade do motorista estão de acordo com as normas da empresa, e a partir dessa análise, criar padrões de controle.

Por exemplo, se um condutor estiver em alta velocidade, ou fizer frenagens e acelerações bruscas, a central de rastreamento será imediatamente advertida e poderá entrar em contato com o motorista e conferir se tudo está bem.

Junto a isso, desvios de rotas traçadas também podem ser programadas, o que garante mais segurança ao veículo e ao profissional que está dirigindo.

Com todo esse controle sobre a correta utilização da mecânica do veículo, otimização de rotas e monitoramento preciso é possível evitar gastos desnecessários com manutenção, excesso de combustível e multas por atrasos.

São vantagens surpreendentes e indispensáveis a uma boa central de rastreamento, não é mesmo?

Se você gostou do conteúdo, fique ainda mais por dentro e baixe o nosso ebook abaixo!