Precificação de serviços: 5 dicas para ajudar a precificar corretamente - Getrak
Imagem - Getrak
Imagem - Getrak
Empreendedorismo
1 de abril de 2019
Precificação de serviços: 5 dicas para ajudar a precificar corretamente
g
Publicado por
Getrak
Compartilhe:

O valor cobrado por um serviço é fator decisivo para a sobrevivência das organizações. Por essa razão, saber o que é precificação de serviços e como precificar se torna um diferencial para uma estratégia de marketing coerente, que visa a sustentabilidade no mercado e o equilíbrio financeiro. Mas essa não é uma tarefa nada simples.

Encontrar um valor significa, simultaneamente, alcançar uma margem suficiente para o retorno do investimento, cobrir as despesas e estar dentro do limite que o consumidor está disposto a pagar. Com tantos itens a serem apontados dentro de uma mesma fórmula, é muito frequente ver o gestor definir um valor inferior em relação ao que poderia ser cobrado, para não assustar o consumidor.

Continue lendo o post e entenda como utilizar essa estratégia para seu negócio obter sucesso no mercado. Confira!

Qual a importância da precificação de serviços?

Calcular preço de venda e implementar essa estratégia é fundamental, mas você também necessita ter a confirmação de que sua precificação funciona. O upgrade dessa esfera que será desenhada a partir da apuração dos preços precisa ser conferida ao longo do tempo.

E as teses dessa avaliação deverão ser usadas para novas tomadas de decisão e auxiliarão a dirigir os negócios rumo ao êxito. Ela pode, todavia, ser utilizada como um essencial instrumento de gestão para a determinação do futuro da empresa e a definição de resultados.

Quando precificar é uma tarefa difícil?

Autônomos e pequenas empresas tendem a ter mais dificuldades em precificar se baseando no concorrente, dado que as organizações maiores realizam preços mais competitivos por trabalharem em escala elevada.

Outra dificuldade está no fato de os serviços, diversas vezes, serem heterogêneos, inibindo a comparação entre as variadas companhias. Além disso, o ponto do valor agregado também é um complicador, dado que nem sempre o cliente compreenderá que o valor final é o justo.

Imagem - Getrak
eBook

O guia definitivo para montar uma central de sucesso

Quais são as dicas para facilitar a precificação?

Não basta precificar seu serviço de maneira que acha ideal para você. O importante é conseguir espaço no mercado para que possa expandir seus negócios. Então, confira nossas dicas!

1. Conheça seus custos

Um princípio essencial de precificação é que você necessita cobrir seus custos e, logo em seguida, ter lucro. Isso definirá quanto custa seu serviço. Também é preciso compreender qual é o markup, isto é, quanto do preço está acima do custo do seu ofício, e quanto você precisa vender para obter lucro.

Lembre-se que o custo de um serviço é maior do que o custo pontual do item, pois também abrange custos indiretos. Os custos indiretos conhecidos por custos fixos são representados por despesas como aluguel, taxas de armazenamento ou de transporte. Você deve incluir esses custos na sua estimativa do custo real.

2. Oriente-se sobre a concorrência

Compreender o posicionamentos dos concorrentes é relevante para entender quanto é cobrado pelos serviços prestados e para conhecer exatamente o que estão fornecendo.

Um negócio similar ao seu pode ofertar um preço bem abaixo e, todavia, conter uma qualidade bastante inferior. O sentido inverso também poderá ocorrer: a concorrência pode vender mais caro e oferecer uma promoção em troca.

Logo após, considere o seu nível de habilidade e experiência no mercado. Lembre-se que, para determinar um preço acima da média, é preciso ter muita clareza do valor cobrado diante das promoções realizados no mercado.

3. Saiba agregar valor

Outra questão que pode influenciar é a percepção do valor que o consumidor está disposto a pagar. Isso também está relacionado com o valor agregado. Se você estiver apurando um problema que o cliente não resolveria de maneira melhor, ele certamente pagará mais.

É fundamental entender quanto os consumidores estão prontos a pagar para não cobrar um preço aquém, deixar de lucrar mais e desvalorizar o seu produto.

4. Defina sua margem de lucro

Não existe uma maneira de precificar seus serviços sem computar sua margem esperada. Mesmo que você escolha por cobrar por projeto, o melhor é conseguir uma base do quanto vale a hora do seu tempo de trabalho.

Para iniciar, indague-se a respeito do quanto acha razoável receber ao ano. Em 365 dias, a média é de 2.000 horas trabalhadas. Para obter a sua quota por hora, divida o valor do seu desejo salarial por 2.000. Por exemplo, caso deseje faturar R$ 50 mil por ano, você precisará cobrar R$ 25,00 por hora trabalhada.

5. Apresente um orçamento diversificado

No instante de apresentar valores para o consumidor, variar o orçamento pode auxiliar bastante. É essencial que ele tenha diversas opções de escolha para notar que está no controle. Além do mais, com um leque mais amplo, as suas chances de fechar a negociação são maiores.

Outra ideia é montar um pacote com o serviço completo e ofertar um desconto considerável no pagamento. Desse modo, ganha o cliente, que pagará um valor menor, e ganha você, que vendeu o serviço por um bom preço.

Como comparar preços e precificar seu produto ou serviço corretamente?

A determinação do preço justo de um serviço/produto junto ao mercado segue o equilíbrio de inúmeros fatores. Enquanto isso, as metas dos autônomos ou das empresas, o posicionamento da marca e a projeção financeira e dos produtos também serão considerados. Veja um passo a passo de como fazer isso:

Calcular os custos

O primeiro passo no tutorial de como definir preço de qualquer produto ou serviço é calcular o quanto se gasta com ele. Custos de produção são os primeiros a entrar na conta. Além deles, também avalie qualquer gasto com transporte que o serviço/produto reivindica.

Caso a venda do serviço ou produto também envolva situações como comissão de vendedores e afins, isso também necessita ser contabilizado.

Entender o sistema de tributação

Além do que é gasto para produzir e operacionalizar o que você for vender, é preciso estar por dentro do sistema de tributação. As empresas estão sujeitas a uma série de regras tributárias e isso vai influenciar no preço final de qualquer produto ou serviço.

Enquanto calcula como estabelecer o preço, e já conhecendo os custos totais, some a tributação à equação. Entender sobre as taxas que a empresa paga para produzir, operar e comercializar os serviços/produtos é a maneira de chegar ao preço ideal.

Definir o lucro

Agora que já sabemos os custos e despesas totais de um produto ou serviço, falta o último item da conta: o lucro!

Quanto você pretende lucrar? Determine a margem, insira na equação e o produto final é o preço ideal. O lucro pode ter uma variação conforme o seu objetivo, porém, sempre deve simbolizar uma margem coerente para o rendimento compensar. Nem muito baixo, de modo que os custos não compensem, nem muito alto, de forma que o consumidor se recuse a pagar. É tudo uma questão de equilíbrio.

Estudar o mercado

Com todas as informações já levantadas acima, o gestor deve pesquisar para entender onde o plano de precificação se posiciona no mercado. Várias vezes, os consumidores gostam de uma ideia, mas não se dispõem a pagar um valor que não cobre nem os custos de produção daquele produto. Dessa forma, o negócio se torna inviável.

Por isso, primeiro, vale levantar e comparar dados de outros produtos similares disponíveis. Fazendo pesquisas de mercado, ouça também o que os consumidores têm a dizer. Em seguida, avalie diretamente com o público-alvo se eles desejam, pretendem ou precisam comprar o que você está ofertando.

Ouvir o que o consumidor tem a dizer

Faça um teste de elasticidade de preço. Pergunte em uma pesquisa se os clientes pagariam um valor maior por aquele serviço/produto, e vá reduzindo a importância a cada nova questão. Ao avaliar os resultados, você chegará ao valor que as pessoas começam a considerar justo para aquele item.

Enfim, ao cruzar os dados de todas as perguntas, é possível chegar ao preço final ideal. Além disso, o empreendedor descobre o quanto ainda pode alterar o preço de acordo com a elasticidade, caso queira ou precise cobrar mais ou menos em algum momento.

Em resumo, ao implementar uma estratégia de precificação de serviços e produtos assertiva, o gestor ou autônomo terá mais chance de competir no mercado e alcançar sucesso nos seus negócios.

Gostou do post? Então, aproveite e receba nosso Guia de Empreendedorismo para Iniciantes!