Getrak

Notícias
Entre em contato com um de nossos consultores (31) 3324-5710 (31) 3500-3200

Automatização virou tendência em segurança residencial. Graças à consolidação da Internet das Coisas (IoT), tudo está cada vez mais conectado, permitindo que uma pessoa possa monitorar a entrada e a saída de indivíduos em sua casa, ligar e desligar alarmes e acionar luzes e aparelhos elétricos, por exemplo. De acordo com Frederico Menegatti, CEO da Getrak, há plataformas recebendo informação e interagindo com os diversos itens que cercam o indivíduo, como sua casa e seu veículo.

Entre as tecnologias mais sofisticadas do mercado em relação à segurança residencial, existe aquela que se pode interpretar, por meio de câmeras e dispositivos espalhados pela casa, se há alguém e, principalmente,quem está dentro dela – fruto do reconhecimento facial de imagem.  "O proprietário não está no ambiente, mas recebe notificação em seu celular comunicando que uma pessoa específica, como seu filho, chegou em casa. Ou uma pessoa não reconhecida pelo sistema e, portanto, não autorizada.  É possível ter uma central como essa a partir de R$ 2 mil", conta Frederico.

Também é possível saber se há alguém em casa usando dispositivos mais baratos que variam entre R$ 200 e R$ 300 (porém, sem a identificação facial). Nos dois casos, a informação de que existe um intruso é enviada para uma central de segurança ou mesmo para o próprio proprietário, através de aplicativo de celular ou tablet.  A principal vantagem é que são sistemas on-line. Isso também ajuda a reduzir alarmes falsos, uma vez que bichos representam 20% desses sinais.

Mas, para quem quer gastar ainda menos, o diretor da Assistência Técnica em Segurança (Aseg) João Paulo Alves de Deus opina: é fundamental ter portão eletrônico com interfone e sistemas de alarmes e câmeras. "Com elas dá pra ver a placa do carro e até algo escrito em um papel. Além disso, a instalação é mais leve, por exigir menos cabos que as tradicionais câmeras de infravermelho", explica.

Automatização virou tendência em segurança residencial. Graças à consolidação da Internet das Coisas (IoT), tudo está cada vez mais conectado, permitindo que uma pessoa possa monitorar a entrada e a saída de indivíduos em sua casa, ligar e desligar alarmes e acionar luzes e aparelhos elétricos, por exemplo. De acordo com Frederico Menegatti, CEO da Getrak, há plataformas recebendo informação e interagindo com os diversos itens que cercam o indivíduo, como sua casa e seu veículo.

Entre as tecnologias mais sofisticadas do mercado em relação à segurança residencial, existe aquela que se pode interpretar, por meio de câmeras e dispositivos espalhados pela casa, se há alguém e, principalmente,quem está dentro dela – fruto do reconhecimento facial de imagem.  "O proprietário não está no ambiente, mas recebe notificação em seu celular comunicando que uma pessoa específica, como seu filho, chegou em casa. Ou uma pessoa não reconhecida pelo sistema e, portanto, não autorizada.  É possível ter uma central como essa a partir de R$ 2 mil", conta Frederico.

Também é possível saber se há alguém em casa usando dispositivos mais baratos que variam entre R$ 200 e R$ 300 (porém, sem a identificação facial). Nos dois casos, a informação de que existe um intruso é enviada para uma central de segurança ou mesmo para o próprio proprietário, através de aplicativo de celular ou tablet.  A principal vantagem é que são sistemas on-line. Isso também ajuda a reduzir alarmes falsos, uma vez que bichos representam 20% desses sinais.

Mas, para quem quer gastar ainda menos, o diretor da Assistência Técnica em Segurança (Aseg) João Paulo Alves de Deus opina: é fundamental ter portão eletrônico com interfone e sistemas de alarmes e câmeras. "Com elas dá pra ver a placa do carro e até algo escrito em um papel. Além disso, a instalação é mais leve, por exigir menos cabos que as tradicionais câmeras de infravermelho", explica.

A Getrak, empresa situada no bairro Belvedere, em Belo Horizonte, investiu recentemente R$ 4 milhões em sua plataforma a fim de aperfeiçoá-la, possibilitando que o dia a dia de uma empresa ou residência fique ainda mais conectado à internet. Além disso, a Getrak almeja expandir sua presença internacionalmente, subindo de 6 para 8 países, através de um plano de marketing com investimento de R$ 2 milhões.

No Brasil, só no setor automotivo, há expectativas de se chegar a 350 mil veículos conectados até o fim do ano. Segundo Frederico Menegatti, CEO da Getrak, a empresa anda driblando a crise econômica com eficiência, já que no ano passado ela cresceu 42% em seu faturamento. Ele associou, ainda, esse sucesso com o bom desempenho do segmento de IoT – que progride em uma curva ascendente no mundo inteiro –, além do fato de a plataforma da Getrak permitir uma redução de custos, favorecendo o aumento da demanda.

"É possível fazer uma manutenção preventiva do veículo. Por meio da IoT, conseguimos monitorar uma série de itens do carro e identificar se ele tem predisposição a estragar determinada peça. Além disso, a questão da segurança também é um atrativo: pela plataforma conseguimos bloquear o veículo a distância, por exemplo, evitando roubos", explica Menegatti.

A Getrak não é uma empresa nova. Há 10 anos, atua no segmento de rastreamento de carros e telemetria, unindo tecnologia de ponta e técnicas de Big Data (ou banco de dados) que a elevaram ao posto de maior base de veículos monitorados da América Latina. Então, por que ela ainda provoca uma intensa expectativa no mercado de tecnologia e inovação? A resposta é simples: o grande negócio da companhia mineira está à frente, no futuro. De acordo com o Gartner, instituto de pesquisa e consultoria mundial em tecnologia, estamos em meio a uma grande revolução digital. Entre as principais tendências que estão prestes a transformar o mercado, a chamada internet das coisas (IoT, sigla para internet of things) será protagonista. Segundo esse conceito, tudo o que é parte da nossa rotina, do carro aos eletrodomésticos de uma casa, estará conectado e irá interagir com os usuários. E é esse novo e ainda insipiente ramo que a Getrak tem trabalhado para desbravar. “ Nossa ideia é conectar seu carro a seu celular e sua residência. A casa perceberá que o carro está chegando, e a gente conseguirá abrir o portão, acender a luz e informar quem está lá dentro. Esse tipo de tecnologia tem que permear a vida das pessoas de maneira subliminar, sem que seja preciso acionar um aplicativo. esse é o grande desafio que temos aqui ”, conta Frederico Menegatti, CEO e fundador. Tanta conexão gerará uma gama enorme de informações, que podem ser trabalhadas para melhorar a qualidade de vida dos usuários. Relacionar esses dados de forma inteligente será o diferencial neste mercado, e é nisso que a Getrak está investindo hoje. Dos seus 50 funcionários, 35 compões o corpo tecnológico da empresa, que conta com um laboratório só para testes de equipamentos. Pelo menos 27% do lucro da empresa é direcionado para a criação de novas tecnologias, um investimento alto que, segundo Frederico, valerá a pena. “ Para 2016, é estimado um aumento de 25% no mercado mundial de Big Data, que já movimenta U$48 bilhões. No mercado de IoT, que está começando, a previsão de crescimento é de mais de 30% sobre os atuais U$$ 6 bilhões.” Enquanto as novas soluções seguem em teste, o carro chefe da Getrak continua liderando suas receitas. Desde que foi fundada, a empresa soma 287 mil veículos conectados no Brasil. Tem clientes em sete países, prevê um crescimento de 50% neste ano e prepara sua expansão global, com a inauguração de mais dois escritórios na América Latina e um em Santa Bárbara, na Califórnia (EUA).

A empresa mineira Getrak, referência internacional quando o assunto é tecnologia para carros conectados e IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas), participa, de 26 a 28 de abril, na Cidade do México, da Expo Seguridad. O evento é o maior da América Latina e um dos maiores do mundo dedicados à tecnologia e inovação para o mercado de segurança e controle de acesso.

 

"O evento reunirá os gigantes do mercado de seguros para apontar caminhos, tendências e inovações para o setor", explica o diretor comercial da Getrak, André Saliba. Dentre as atrações da Expo Seguridad estão o pavilhão de forças ("Fuerzas"), em que todas as novidades de soluções de segurança serão apresentadas; dois eventos simultâneos: Segurança Industrial Expo, especializada em Segurança Industrial, Saúde e Segurança Ocupacional, e o NFPA México Fire Expo, dedicada a produtos relacionados ao fogo; além de um extenso programa de conferências destinadas a profissionais de segurança e usuários finais.

 

Sobre a Getrak

 

A Getrak é referência internacional em tecnologia e infraestrutura para carros conectados e IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas). É responsável pela maior base de veículos rastreados da América Latina e uma das maiores em Big Data desse segmento em todo o mundo. Ao todo, são 250 mil veículos, 350 operações de telemetria e rastreamento em 6 países do mundo.

 

 

​O rastreamento veicular funciona basicamente a partir de 3 itens: chip, software e rastreador – pequenos equipamentos de geolocalização que emitem sinais por meio de antenas.​

 

​Um módulo rastreador instalado no carro possui um GPS que recebe do satélite informações sobre latitude, longitude e direção e, em alguns casos, informações de sensores como temperatura, RPM, frenagem e outras questões relacionadas ao veículo ou à sua condução.

 

Esses sinais são captados por um pequeno chip GPRS e enviados aos servidores da Getrak, onde são decodificados e transformados em informações valiosas para a operação de rastreamento.


Um exemplo dessa decodificação seria em situações de emergência, quando, por exemplo, o condutor avisa à central através de um botão secreto de pânico que gera uma notificação de alerta. A central proativamente pode até mesmo bloquear o funcionamento do veículo​ a partir do portal web​​, que pode ser acessado através de um computador ​ou um smartphone.

É fato que o Brasil é um dos países com os maiores índices de furtos e roubos de carros*. Por isso, o mercado de rastreadores nunca se expandiu tanto.

 

O rastreador veicular é um pequeno equipamento que pode ser instalado em motos, carros, ônibus e caminhões que permite que o veículo seja rastreado e monitorado constantemente, 24 horas por dia.

 

De forma resumida, podemos dizer que um rastreador veicular é um aparelhinho que utiliza uma tecnologia de localização via GPS para dar as coordenadas de onde seu veículo está através de sinais de satélite ou radiofrequência. A plataforma de satélite se destaca por sua abrangência em todas as regiões do país, se estendendo às áreas cobertas pelas operadoras de telefonia; já o rastreamento via radiofrequência possui seu diferencial no fato de localizar veículos em ambientes fechados e cobertos, mantendo uma boa recepção dos sinais.

 

A Getrak mantém mais de 20 parceiros rastreadores homologados em sua plataforma de monitoramento de frotas e indica os melhores preços e funcionalidades específicas dos módulos.

 

É mais agilidade na tecnologia e no atendimento para você: confira AQUI a nossa lista de rastreadores homologados.

 

*http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2016/01/cinquenta-e-sete-carros-sao-roubados-por-hora-no-brasil-diz-pesquisa.html e http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/10/brasil-tem-um-roubo-de-carro-cada-tres-minutos-diz-levantamento.html

De forma resumida, podemos dizer que um rastreador veicular é um aparelhinho que utiliza uma tecnologia de localização via GPS para dar as coordenadas de onde seu veículo está através de sinais de satélite ou radiofrequência.

 

Ou seja, são muito úteis para controlar frotas de táxis, caminhões, carros-fortes e motos e para empresas de transportes em geral, que precisam administrar 100% o andamento de entregas. Com um sistema de rastreamento veicular, é possível saber – em média a cada 30 segundos – onde está um determinado veículo e agir em relação a mudanças de itinerário, roubos ou furtos, detecção de problemas, cerca eletrônica e muitas outras possibilidades que a central pode personalizar para utilizar essa tecnologia da melhor maneira.

 

O software Getrak, responsável pela maior base de veículos rastreados da América Latina, é referência internacional em tecnologia e infraestrutura para empresas de rastreamento, levando as melhores marcas de rastreadores para o controle total da frota pela sua central.